Voando o PMDG MD-11

Considerações Iniciais

Conforme prometido, aqui está um tutorial de vôo pro excelente MD-11 da PMDG. A operação abrange um vôo completo do Cold´n Dark ao Cold´n Dark. Lembrando que, pra operação ficar mais realista, dificilmente a tripulação encontrará a aeronave totalmente desligada. É mais comum encontrá-la numa situação de troca de tripulação, ou após passar pelo pessoal da manú, estando já energizada e com a fonte externa de energia conectada (GPU). Para iniciar assim no PMDG MD-11, selecione a situação de painél do Tutorial.
Mas agora veremos a operação completa, do Cold´n Dark. Mãos à obra!

Antes de praticar este tutorial, é bom que vcs já estejam familiarizados com o funcionamento do painél desta aeronave, principalmente sobre a interface de hot spots para troca dos painéis, lembrando que há funções diferentes ao clicar o botão esquerdo e direito do mouse em cima de algum link de abertura de painél, bem como funções de alguns switches. Também é imprescindível que se tenha uma noção de operação dos sistemas e interface dos instrumentos, já que isso não será abordado neste tutorial.

Rota e Cartas Utilizadas

Este vôo de demonstração terá como origem Guarulhos/SP (SBGR) e nosso destino será Porto Alegre/RS (SBPA).
A rota escolhida é real, cumprida pelas cias.aéreas que voam entre os dois aeroportos,e será:

SBGR N0470 340 CGO UM788 NAFIL UW24 SBPA

Nossa Carta de Subida(SID) será a Congonhas1/CURSE:

Nossa carta de aproximação(STAR) será a Guaíba1:

E nossa descida será o final do procedimento(IAC) ILS X RWY11:

Pré-Configurações do FSX

Para que vcs tenham as mesmas situações que o tutorial, incluindo as mesmas telas e configurações dos painéis, é importante que alguns parâmetros do FSX estejam configurados da seguinte forma:

Em Options-Settings-General, na aba International, em Units Of Measure, escolha a opção HYBRID(FEET MILIBARS), assim teremos todas as indicações de pesos em Quilos e volumes em Litros.
Conforme foto abaixo:

Preparações Para o Vôo

Em Free Flight, escolha o PMDG MD-11 GE Engines. Escolha como origem SBGR e escolha para iniciar no GATE G09 Gate Heavy.
No clima, escolha a situação pré-definida Clear Weather. No horário, fica a critério de vcs. Eu aconselho escolher dia claro, pra ficar mais fácil a compreensão.

Quando carregar o vôo, vamos agora configurar o estilo do painél para que vcs tenham a mesma representação gráfica que o tutorial. No menu do FS, na aba ADD-ONS, escolha PMDG – Options, e na tela que abrir, em Airline Options-Displays, deixem como a foto abaixo:

Agora na aba Simulation Option, vamos modificar o tempo de alinhamento do IRS, conforme figura abaixo:

Clique em OK, e deve voltar para o painél. Entre novamente no menu ADDON – PMDG – Panel State – LOAD e escolha a situação COLD AND DARK. Seu painel deverá estar como a figura1:

Passe para a Spot View e confirme sua posição, conforme figura2:

Agora vamos configurar nossa carga e combustível. No menu iniciar(fora do FS) localize a entrada PMDG Simulations- PMDG MD-11 FSX e entre no PMDG MD-11 Load Manager. Selecione MD11 Mixed Class, em Units deixe em Kgs, configure para 190 passageiros e configure o combustível para 20.000 kgs. Tome nota dos valores de ZFW,ZFWCG e TOCG, para posterior programação do FMS. Veja a figura3:

Agora clique em SEND TO FSX, confirme o alerta da próxima tela e pode fechar o Load Manager e retornar ao FS.

INÍCIO DE VÔO

Nossa aeronave encontra-se totalmente desligada. Acesse o overhead e confirme tudo apagado,conforme figura4:

Nosso primeiro passo é ligar a bateria, conforme figura5:

Agora vamos solicitar ao pessoal de solo que conecte o GPU. Pelo FMS, via MENU, acesse FS Actions Shortcuts, e escolha Ground Connections. Em Power Mode confirme BY REQUEST e EXT PWR CONNECT.

Com o GPU conectado, aparecerá DISCONNECT em EXT PWR. Isso porque ele mostra a função ao pressionar o LSK.Figura7:

Vamos ligar a fonte externa. No overhead, EXT PWR ON e GLY EXT PWR ON. Figura8:

Agora acionaremos a fonte de ar do GPU, pelo FMS. Figura9:

Armamos o sistema elétrico de emergência. Figura10A.
Selecionamos o número de passageiros no PAX LOAD. Figura10B.
Armamos as luzes de emergência. Figura10C
Ligamos os avisos de cintos e não fumar. Figura10D
Ligamos as luzes de navegação. Figura10E:

Iniciamos o alinhamento dos IRS´s, passando os três pra NAV. Figura11:

Vamos programar o FMS. Clique em INIT,entrará em F-PLN INIT. Figura12:

Escolha o aeroporto de origem e destino. Figura13:

Selecione a alternativa(SBFL). Figura14A
Selecione o número do vôo(BTO051). Figura14B
Selecione o nível de cruzeiro(FL340). Figura14C
Selecione temperatura do FL e vento. Ele automaticamente calculará a temperatura neste caso. O vento, para valores positivos ele entende como cauda, negativos para proa. O nosso será zero. figura14D
Quando terminar o alinhamento dos IRS´s, aparecerá INITIALIZE IRS. Clique no LSK correspondente. Figura14E:

Clique em Next Page. Figura15:

Configuraremos os dados de peso agora. Figura16:

Block Fuel é nosso combustível. 20toneladas. Basta clicar no LSK, ele preenche automático. Figura 17A
Os próximos dados são o ZFW,TOCG e ZFWCG, que pegamos os valores no Load Manager. Porém a PMDG implementou uma “ajudinha”,basta clicar com o botão direito no LSK correspondente que o valor correto aparecerá na tela de digitação, e clique com o botão esquerdo novamente no LSK. Figuras 17B 17C 17D:

Clique em Next Page, vamos configurar o combustível. Figura18:

Em REFUEL QTY é o mesmo valor do abastecimento, ou seja, 20toneladas. Finalizamos a programação dos pesos. Figura19:

Vamos programar nossa saída. Clique em F-PLN. Figura20:

Clique em cima do indicativo do aeroporto(SBGR), e escolha SID. Figura21:

Escolha a pista 09L. Figura22A
Escolha a SID Congonhas1(CGO1). Figura22B
Escolha a transição CURSE. Figura22C
Clique em INSERT. Figura22D:

Programaremos a rota agora. Desça os fixos até o último da SID(CURSE) e clique no LSK correspondente. Figura23:

Escolha AIRWAYS. Figura24:

Digite UM788 e clique no LSK de VIA. Não é preciso digitar o fixo de mudança de aerovia, o FMS calculará automaticamente. Basta continuar digitando somente as aerovias da rota.Em nosso vôo, é apenas mais uma. Digite UW24 e clique no LSK do próximo VIA. Figura25:

Veja que no campo TO ele colocou NAFIL,o fixo de mudança conforme nosso plano de vôo. Como após NAFIL nosso próximo fixo será OCASO, que já faz parte da STAR de SBPA, não é preciso colocá-lo. Basta clicar em INSERT. Figura26:

Como já sabemos nossa STAR de chegada em POA, já vamos programá-la. Role os fixos da rota até o último(NAFIL) e clique no LSK correspondente. Figura27:

Selecione STAR. Figura28:

Selecione ILS11 em APPRS. Figura29A.
Selecione Guaíba1(IP1) em STARS. Figura29B.
Clique em INSERT. Figura29C:

Procure pelo F-PLN DISCONTINUITY, clique em CLR e no LSK correspondente para apagá-la. Figura30.

—OBS—

Não sei se é um bug do PMDG ou da programação desta STAR, mas vejam na figura30 que em OCASO temos uma restrição de altitude. Deve-se passar ABAIXO do FL350. O indicativo no FMS é -FL350. Só que descobri no vôo que isso “confundiu” o perfil, e chegando no TOD o PROF não desceu automaticamente, além de piscar PROF FL350 no PFD. Até entender a falha e corrigir, perdi quase 3.000 ft no perfil de descida do PROF, que tive de compensar abrindo os spoilers e deixando o bichão descer “daquele jeitinho” até recapturar o perfil de descida do PROF novamente. Para que isso não aconteça com vcs, melhor tirar esta restrição da STAR. Como nosso cruzeiro é no FL340, já estaremos abaixo do FL350… então, clique no LSK ao lado de -FL350, abrirá o perfil vertical de OCASO, clique na tecla CLR e no LSK ao lado da indicação, que será apagada, e o FMS recalculará o perfil de descida na hora.

—OBS—

Programação da rota completa. Figura31:

Vamos programar o perfil de decolagem. Clique em TO/APPR. Figura32:

Como estamos vazios e com pouco combustível, não precisamos de todo o empuxo dos motores na decolagem. Vamos programar um derated takeoff simulando uma temperatura ambiente maior. Coloque 54 em FLEX. Figura33.
Em slope/wind é a inclinação da pista e direção e velocidade do vento. Nosso caso é zero e zero. Figura 33.
Decolaremos com flaps 22 graus. Coloque 22 em FLAPS. Figura33.
Guarde o valor do ajuste do compensador do profundor(TRIM). STAB 3.0. Figura33.
Na temperatura ambiente, digite 11C (OAT 11C). Figura33.
Aparecerá a mensagem CHECK/CONFIRM VSPDS. Clique em cima de cada Vspeed pra confirmar. Confirme as 3 selecionadas no PFD também. Figura33:

Programação do FMS completa. Figura 34:

Nossos passageiros já embarcaram,a carga já foi acomodada no porão, então vamos fechar todas as portas!
No FMS, entre no FS Actions pela tecla MENU. Figura35:

Selecione Cabin Doors, e feche as portas que estiverem abertas. Todas deverão estar com a palavra OPEN no CDU. Isso porque o botão indica a função ao ser apertado,ok. Com todas fechadas, clique em ARM ALL. Figura36:

Confirme os porões de carga também. Figura37:

No overhead, coloque o sistema de pressurização no automático. Figura38:

Antes da partida dos motores, é necessário mais alguns ajustes. Vamos configurar o TRIM para decolagem. Ligue a bomba auxiliar hidráulica. Figura39:

Ajuste o TRIM na posição 3.0 . STAB 3.0(cor verde). Figura40:

Vamos iniciar os preparativos para o pushback e acionamento. Ligue o APU PWR no overhead. NA sequência de acionamento, ele piscará AVAIL e ON no START STOP. Figura41:

Acompanhe o acionamento da APU pelo SD. Figura42:

Quando ele estiver ligado, confirme ON em APU PWR e ON no START STOP.Figura43:

Ligue o ar do APU. Desligue o EXT PWR e GLY EXT PWR. Figura44:

Pelo FMS, solicite ao pessoal de solo para desconectar o GPU. Desligue primeiro o ar e depois a energia. Figura45:

Confirme que AVAIL no EXT PWR e EXT GLY PWR apagaram e ligue a Beacon Light. Figura46:

Vamos iniciar o pushback. Os calços já foram tirados, então acione o Parking Brakes. Pelo FMS, em FS Actions, configure o pushback. Straight Lenght 60metros, clique em TURN para trocar para LEFT,e configure 90 graus. Clique em START. Acontecerá um speech do comandante solicitando o push e o pessoal do solo pedindo pra ele soltar o freio. Solte o parking brakes e o pushback iniciará. Vamos acionar os motores! Figura47:

Antes do acionamento, configure o Dial-A-Flap para 22 graus. No MD-11, a primeira posição de flap(a 2a.posição da manete,pois a 1a.é do slat) não é fixa num determinado ângulo. É possível configurar o grau de abaixamento, pois dependendo da configuração de peso, muda-se o ângulo do flap, e é comandado somente a 1a.posição da manete(2o.dente). Dá-se a esse sistema o nome de DIAL-A-FLAP. Configure-o no pedestal. Figura48:

Chegou a hora de acordar a ave! Ligue o ignitor A. Figura49:

A sequência de acionamento é 3-1-2. Então acione o starter do motor 3, e com 15% N2 abra o combustível.Quando ele estabilizar, faça o mesmo procedimento pro motor1 e finalmente para o 2. Figura50:

Após o acionamento, desligue a APU pelo START STOP. Figura51:

Sete o QHN local. Figura52:

Configure o AutoBrake na posição TO. Arme os spoilers. Figura53:

Acione o transpoder no modo TA/RA. Ele continuará em standby automaticamente durante o taxi. Figura54:

Taxiando pro ponto de espera da 09L. Ligue o farol de taxi. Figura55:

Confirme o retângulo verde no MFD, tudo está setado para decolagem. Caso aparecer a mensagem CDU2 Menu Request, basta acionar o FMS do copiloto e confirmar a inicializacão. Figura56:

Vamos programar o FCP para decolagem. IAS em 250kts. Rumo da pista no HDG e FL de cruzeiro no ALT. Como voaremos no modo NAV e PROF, todas as restrições e velocidades setadas no FMS serão cumpridas automaticamente dentro dos perfis. Figura57:

Clique em NAV e AUTOFLIGHT, já deixando os modos “managed” armados no PFD. Cuidado, não avance os motores além de 65% N1 ou o Autothrust será ligado. Não há necessidade de tanto empuxo pro taxi. Figura58:

Ao alinhar na cabeceira, ligue os faróis de pouso e as strobe lights. Figura59:

Avance as manetes até 60% N1,quando estabilizar, pode encher a mão com potência total, o autothrust entrará em operação com a msg TO THRUST. Vc ouvirá um “click” dele travando e a mensagem TO CLAMP aparecerá no PFD e a potência de decolagem configurada no FMS será mantida.Rode após a VR e siga o flight director.O copiloto cantará razão positiva, suba o trem de pouso, e o modo NAV entrará em operação. O FD continuará indicando um pitch pra manter V2+10 até a altitude de aceleração, portanto no mínimo a 400ft AGL vc pode clicar em AUTOFLIGHT e o AP entrará em operação. Aparecerá AP1 ou AP2/ NAV1 ou NAV2 no PFD.Na altitude de aceleração (1500 ft AGL ) clique PROF e o modo vertical será ligado. Aparecerá a mensagem CLB THRUST no PFD. A velocidade aumentará e quando passar FR(em verde) recolha a 1a.posição de flap. Quando passar SR(verde) recolha os slats. A partir deste ponto, todo o vôo será comandado pelo FMS. Na figura60, antes da decolagem:

Na subida, cumprindo o perfil da Congonhas1, ao livrar a restrição de 9000ft. Figura61:

Ao passar a altitude de transição, sete QNE no altímetro. Ao passar 10.000ft, desligue os faróis de pouso e o aviso de cinto de segurança. Na foto62, já em cruzeiro:

Em cruzeiro. Foto63:

Ao aproximar do TOD, sete 1700ft no FCP. É a altitude de passagem do FAF de nossa aproximação. O perfil de descida respeitará todas as restrições da STAR. Figura64:

Figura65 – em branco – assunto abordado no briefing do FMS referente ao bug da restrição -FL350

Ao passar o FL100, ligue os faróis de pouso e o aviso dos cintos. Figura66:

No check pré pouso, arme os spoilers, configure o autobrake em MIN e configure o Dial-a-Flap para 15 graus. Figura67:

No FMS, em TO/APPR, confirme as Vspeeds. No MD-11, a configuração normal de pouso é com flaps 35 graus. Figura68:

Clique em APPR/LAND para habilitar o modo ILS e armar os modos LOC e GS. Figura69:

Iniciando a configuração para pouso. Figura70:

Capturando o localizador. Figura71:

Full ILS capturado. Figura72:

Ligue o farol do trem de pouso na final! Confirme a caixa verde no MFD, indicando config de pouso ok. Figura73:

A 500ft AGL, desligue o AP e prossiga na mão para o pouso. Aqui eu configurei no menu PMDG uma tecla para desligar o AP (Z). Na foto74, curta final da pista 11:

O pouso. A 20ft AGL o EGPWS vai cantar “retard” “retard”, reduza totalmente as manetes para idle que o autothrust será desconectado automaticamente. Figura75 e 76:

Após o pouso, recolha os flaps, e ao livrar a pista, se vc acelerar as manetes, os spoilers serão recolhidos automaticamente. Desligue os faróis de pouso,passe o faról do trem para TAXI, desligue as strobe lights e passe o transponder para STBY. Figura77:

Coloque o autobrake em off e confirme spoilers desarmados. Figura78:

Ligue a APU em APU PWR. Figura79:

Durante o taxi. Figura80:

Após a partida do APU, ligue o ar. Figura81:

Ao virar para estacionar no gate, desligue o farol de taxi. Após a parada, acione o parking brakes. Figura82:

Confirme APU PWR e APU AIR ON, e desligue o combustível. Figura83:

Desligue a beacon light e os avisos de cinto e não fumar. Figura84:

Solicite pelo FMS a conexão do GPU. Figura85:

Passe os IRS´s para OFF. Ligue o EXT PWR e EXT GLY PWR. Desligue o APU pelo START STOP. Figura86:

Desarme as portas pelo FMS, e comece o desembarque :-) Figura87:

Bem Vindo a Porto Alegre! Figura88:

O vôo encerra-se neste ponto. A tripulação deixa a aeronave nesta configuração, cedendo lugar para a próxima que assumirá.

Para o desligamento completo, procedemos desligando as luzes de navegação, a fonte externa de ar e energia, solicitando pelo FMS a desconexão do GPU. Figura89:

Por fim, desarmamos as luzes de emergência, o sistema elétrico de emergência e desligamos a bateria. Figura90:

De volta ao Cold´n Dark. Figura91:

Espero que tenham gostado!